“Ativistas Políticos” querem interrupção das obras do BRT e não vê os impactos

Um dos movimentos que foi responsável pela pressão popular, dentro da Câmara de Vereadores, que originou a queda do Prefeito de Sorocaba José Crespo, dando poder a vice-prefeita Jaqueline Coutinho (PDT).

Esse movimento tem como seus articuladores Júlio Fróes, que fizemos aqui matéria explanando seu passado, como ex-traficante de cocaína, lobista e agressor de jornalista. Denominado por ele em suas redes sociais como “ativista político” de Sorocaba, foi responsável por beneficiamento de entidades paulistas ocorrida no Mistério da Agricultura, com sala privativa, reuniões e pastas com dinheiro segundo a denúncia que responde nas esferas federais.

Hoje através de suas páginas no Facebook, este movimento defende a paralisação irresponsável da obra que teve verba pública, empréstimo e licitação ganha por uma empresa, que contratou profissionais, maquinário e pode render a Prefeita até uma queda antecipada do poder.

Um movimento parecido forçou em Santana da Parnaíba (BA), que as obras do BRT fossem paralisadas no ano de 2015. Até hoje em disputa judicial, o canteiro de obras do BRT está parado, não existe avanço nas obras e nem a Prefeitura pode reformar o local para reabrir faixas e cruzamentos, já que existe uma demanda judicial em curso.

Santana do Parnaíba (BA) obras de BRT paralisadas

Em Belém – PA, entre interrupção, ação judicial, retomada das obras. O BRT já leva 7 anos e até hoje os moradores não puderam usar o BRT e os carros ficaram impedidos de circular naquela faixa exclusiva do BRT.

Já no Rio de Janeiro (RJ) houve paralisação das obras, impactando o trânsito de veículos e a perca de espaço dos carros. As obras foram retomadas em 2018 e serão concluídas segundo cronograma da Prefeitura do Rio, até o final deste ano.

Acreditar que a paralisação das obras é alvo viável e que não pode impactar ainda mais a vida dos moradores, é uma tremenda irresponsabilidade daqueles que se dizem “ativistas”, já que ativismo político parte do principio de compreender políticas e impactos da sociedade, para defender um ativismo em ações do governo.

Ressalto também que quem modificou o Plano de Governo, alterando de VLT para BRT, foi a própria Prefeita Jaqueline Coutinho (PDT).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui